Seja na hora de planejar a gravidez, seja depois de descobri-la, é necessário que gestantes tomem providências para proteger seu futuro bebê de sérias infecções que podem atravessar o útero e prejudicar seu desenvolvimento, como é o caso da Rubéola, por exemplo. Dentre essas providências, uma delas é receber as doses de determinadas vacinas importantes, recomendadas pelo obstetra. Para saber mais sobre o assunto, leia mais.

Vacinas na Gravidez
Vacinas na Gravidez

Pré Natal

O Pré Natal é todo um programa de exames, cuidados e observação que deve começar assim que se descobre a gravidez. Feito junto a um obstetra, ele irá realizar a medição regular de pressão, pedir exames de sangue com frequência e observar os ultrassons para garantir que o bebê está se desenvolvendo de acordo. Além disso, o obstetra pedirá que você realize uma bateria de exames iniciais que garantirão sua perfeita saúde e recomendará que você tome determinadas vacinas que irão proteger não apenas o feto enquanto ele se desenvolve, mas o seu próprio sistema imunológico, que tende a ficar abalado com a gestação.

Como funcionam as vacinas

A imunização é feita de modo a fazer o sistema imune do nosso organismo ter contato de algum modo com o antígeno (vírus, bactéria) que causa uma doença, para que ele reaja e produza anticorpos. Se uma doença acomete o organismo uma primeira vez, o organismo demora a produzir o anticorpo certo para combatê-la; mas se o organismo estiver imunizado, fica mais fácil produzir os anticorpos em maior escala. Ela pode ser feita de quatro maneiras: com vírus vivos atenuados, com germes mortos, toxoides e imunoglobulinas. As três últimas são as mais indicadas para gestantes,

Vacinas na gravidez, qual tomar?

As vacinas a se tomar na gravidez são:

  • Gripe (Influenza) – Gestantes configuram no grupo de risco de pessoas vulneráveis a contrair e desenvolver complicações da gripe. A vacina irá proteger você e também o bebê pelos primeiros cinco meses, e pode ser tomada durante toda gravidez.
  • Tríplice – Combatendo o Tétano, a Difteria e a Coqueluche essa vacina geralmente é recebida na infância, sendo reforçada a cada dez anos na vida adulta. O tétano é especialmente responsável pela morte de recém nascidos, e a vacina deve ser administrada após a vigésima semana da gravidez.
  • Hepatite A – Transmitida por água contaminada, a infecção por Hepatite do tipo A poderá causar parto prematuro e mau desenvolvimento do feto. Embora não seja indicada durante a gravidez, pode ser utilizada se houver grande risco de contaminação como viver em áreas com falta de saneamento básico.
  • Hepatite B – Transmissível pelo contato sexual ou sanguíneo, é importante haver identificar a sorologia de gestantes – caso já tenha tido a doença, está com imunidade. Se não, precisa receber a vacina que é dividida em três doses entre seis meses.

Confira também: Calendário de vacinação e saiba tudo sobre vacinas na gravides e em qual período você deve tomar cada uma delas.

Vacinas que não devem ser tomadas por gestantes

Vacinas que fazem imunização com uso do vírus vivo, mesmo que atenuado, não devem ser utilizadas por grávidas por conta de seu sistema imune enfraquecido. É o caso das seguintes doenças:

  • Febre amarela;
  • Catapora;
  • Tuberculose;
  • Rotavírus;
  • HPV;
  • Rubéola.
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

NO COMMENTS

Leave a Reply