O que é Histerossalpingografia?

Mesmo tendo esse nome comprido e difícil, a histerossalpingografia é um exame ginecológico onde é feito um raio-x do útero e das trompas para avaliar as causas de infertilidade de uma mulher. Seu principal objetivo é observar se há alguma má formação uterina (seja congênita, seja por sequela de cirurgia uterina) ou obstrução nas trompas. Embora também seja possível ver as trompas em outros exames menos invasivos como no ultrassom transvaginal e/ou na ressonância magnética da pelve, só é possível detalhar seu trajeto, morfologia e estado pela histerossalpingografia. É um método de diagnóstico extremamente importante, pois de acordo com seus resultados o médico especialista poderá recomendar o melhor tratamento.

Como o exame é realizado?

A mulher fica deitada em posição ginecológica normal e um contraste iodado é inserido através do colo do útero. Ele é realizado numa fase específica do ciclo menstrual antes da ovulação e após o término da menstruação – entre o 6º e 12º dia do ciclo menstrual. O contraste, quando é realizado o raio-x, ilumina o útero e as trompas, deixando o diagnóstico de alguma condição mais fácil de ser realizado. Através deste exame é possível verificar se o útero tem a forma adequada, se há miomas ou pólipos e se há alguma alteração no caminho que o óvulo percorreria através das tubas de falópio. É importante que mulheres com alergia à iodo informem isso ao médico que realizará o exame, já que a alergia à esse composto pode ter consequências graves.

Histerossalpingografia
Histerossalpingografia – Acima, imagens de partes do exame, fundamental para diagnosticar infertilidade.

Histerossalpingografia dói?

Há duas maneiras de o exame ser realizado, uma delas sendo mais antiga e dolorosa. Na primeira, se prende e traciona o colo do útero com pinças e se usam cânulas metálicas para injetar o contraste na cavidade uterina. Já na segunda, é usada uma sonda flexível e bem fina para transportar o exame. É frequente encontrar mulher com depoimentos de que seu exame foi muito desconfortável e doloroso, com muitas cólicas, mas não se sabe à qual dos dois tipos de exame elas se submeteram. Além disso, a própria reação ao contraste pode causar algum efeito indesejável.

Gravidez com Histerossalpingografia?

Com a passagem do contraste, é comum que algumas obstruções leves nas trompas sejam retiradas, permitindo a gravidez depois que o exame é realizado. Embora esse não seja o objetivo do exame e ele não deva ser procurado com esse resultado em mente, é sabido que pode acontecer.

Dificuldades para engravidar – Devo fazer o exame?

Quando pedido por seu médico, sim. Quando não são encontrados problemas de fertilidade no companheiro, a busca pelo problema deve ser na saúde reprodutiva da mulher. Assim, a histerossalpingografia pode ser um bom começo, já que de cara já pode ajudar a diagnosticar muitas condições que podem ser responsáveis pela impossibilidade de engravidar. Porém, caso este exame não identifique uma causa imediata, serão precisos outros exames. Alguns exemplos são os exames de sangue que verificam a quantidade de estradiol (hormônio sexual do grupo dos estrógenos), biópsia do endométrio ou em alguns casos, até a videolaparoscopia.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 4,00 out of 5)
Loading...

NO COMMENTS

Leave a Reply