Curetagem Uterina: Todas as Respostas!

Certos processos cirúrgicos podem provocar medo e dúvidas, ainda mais quando são realizados em situações delicadas como a curetagem. Exatamente por isso, esse artigo fala um pouco sobre como e por que a curetagem uterina é realizada, de forma a esclarecer melhor quem for realizá-la.

O que é e como é feita?

A curetagem é uma cirurgia de pequeno porte porque realizada por um médico ginecologista. Para que ela seja feita, é aplicada anestesia raquidiana e mais sedação, e depois, através de medicamentos, o colo do útero é expandido. O médico utiliza então uma cureta, um instrumento longo parecido com uma colher e com bordas cortantes, que serve para fazer uma raspagem interna do útero, de modo a limpá-lo ou diagnosticar doenças, conforme podemos observar na imagem abaixo:

Curetagem uterina

Imagem do procedimento de uma curetagem uterina.

Quando é feita a curetagem uterina?

Esse procedimento é majoritariamente realizado após um aborto incompleto, de modo a retirar os restos de material placentário e/ou restos de tecido fetal. Ela limpa os resíduos que ficariam no útero e após um tempo necrosariam e causariam sérias infecções. Como a cureta também consegue retirar pedaços do tecido, ela também pode: ajudar na biópsia de endométrio, confirmar câncer de endométrio, diagnosticar infertilidades primária e secundária, examinar casos de amenorréia e sangramento anormal, identificar hiperplasia ou neoplasia e ainda monitorar a reposição hormonal.

Curetagem uterina Recuperação

Após a curetagem, costuma-se receber alta do hospital em até 24h. Apartir daí a recuperação costuma ser simples: manter repouso, não fazer nenhum tipo de esforço e ainda evitar relações sexuais, já que a pequena cirurgia pode deixar pequenas lesões no útero que precisam cicatrizar corretamente. É normal haver sangramento após o procedimento, durando de 5 a 15 dias, mas o médico deve ser procurado se outros sintomas como febre e dor intensa se manifestarem ou o sangramento durar mais que isso. Para auxiliar a recuperação, dependendo do motivo por que foi feita a curetagem, o médico poderá receitar medicamentos específicos, como antibióticos por exemplo.

Engravidar após a curetagem uterina

Quando realizado em condições normais e com sucesso, a curetagem não diminui as chances de fertilidade. Entretanto, para engravidar novamente, os especialistas recomendam esperar cerca de trinta dias para que o útero se prepare novamente. Caso a curetagem tenha sido realizada para a retirada de um aborto com mais tempo de gestação, o tempo costuma ser de seis meses.

Aspiração Manual Intra-Uterina

Outro método mais seguro e menos invasivo que já vem sendo usado desde 1994, mas nem na maior parte dos estados brasileiros não se usa esse método por falta do aparelho. Servindo para remover material placentário e fetal após um aborto, ela também serve para diagnosticar boa parte do que seria feito com curetagem: confirmar câncer de endométrio, diagnosticar infertilidade, examinar sangramentos anormais, etc. Além de ter custos mais baixos, a AMIU pode ser realizada em um ambulatório com anestesia local, embora ainda precise ser administrada por um médico especialista. Nela, uma cânula é inserida no útero e ela fica ligada à uma espécie de seringa, que cria um vácuo, fazendo com que o tecido seja aspirado pela “seringa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *