Cisto no ovário (ovário policístico): Sintomas e tratamento

Embora seja uma ocorrência comum em idade fértil, a descoberta de cistos nos ovários costuma deixar muita gente com medo, além de abalar suas chances de engravidar. Afinal, o que é o cisto? Essa e outras perguntas serão respondidos através desse artigo informativo.

Cisto no ovário

Cisto no ovário

O que é um cisto no ovário?

Também chamado cisto ovariano, cistos são bolsas cheias de material líquido ou semi-líquido que se formam sobre ou dentro dos ovários. Na grande maioria dos casos é benigno, ou seja, não causa maiores complicações e provavelmente desaparece depois de algum tempo sem tratamento. Entretanto, quando esse cisto começa a aumentar e não desaparece normalmente, é preciso fazer tratamento.

O principal tipo é chamado de cisto funcional: ele aparece durante o desenvolvimento normal do ciclo menstrual e pode ser folicular, quando o folículo ovariano não abre para liberar o óvulo, fazendo com que ele se torne uma bolsa de líquido, e o cisto lúteo, que ocorre depois que o óvulo é liberado. Também é possível ter cistadenomas, que são formados pelo tecido que reveste os ovários, ou cistos endometriomas, que afetam quem tem endometriose. Se for um cisto hemorrágico, ele apresenta sangramento para seu interior e causa dor pélvica.

Síndrome dos ovários policísticos (SOP)

Também chamada de SOP, é uma doença que se caracteriza, principalmente, pela presença de vários cistos nos ovários, que agem desregulando o ciclo menstrual e a produção de hormônios. Esse artigo trata dos cistos simples.

Sintomas

Geralmente não há sintomas de que há um cisto no ovário, mas se eles se tornarem aumentados ou sofrerem torção, a tendência é gerarem:

  • Dor na pelve constante, e antes ou depois da menstruação;
  • Dor durante o coito;
  • Dor ao evacuar;
  • Atraso na menstruação;
  • Aumento da sensibilidade dos seios;
  • Sangramento fora do ciclo menstrual;
  • Aumento de peso;
  • Dificuldade para engravidar;

Diagnóstico

É feito quando o ginecologista faz uma relação dos sintomas sentidos, e pode ser realizado através de palpação pélvica, ultrassom, tomografia ou ressonância magnética. Depois disso, é feito o exame de sangue CA 125 para garantir que o cisto não se trata na verdade de um câncer.

Tratamento

O tratamento deve ser prescrito de acordo com o tamanho e o tipo de cisto, além da idade (por exemplo, os cistos que aparecem durante a menopausa são diferentes dos que aparecem em idade fértil). Um dos tratamentos mais comuns é o uso de medicamentos anticoncepcionais, como e o caso do Clomid, que fazem com que o organismo não produza óvulos, evitando o surgimento de novos cistos. Caso os cistos sejam muito grandes, estejam aumentando ou não sejam funcionais, podem ser retirados através de cirurgia. Em caso de cistos cancerígenos, a extração dos ovários geralmente é necessária.

Engravidar com cistos nos ovários

Embora o cisto possa causar distúrbios hormonais que dificultam a gravidez, ela não se torna impossível por conta dele. Através da realização de tratamento por algum tempo, é possível normalizar os ovários e tentar novamente. Se os cistos já forem descobertos durante a gravidez é ideal que haja acompanhamento médico para evitar uma gravidez de risco e possíveis complicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *