Ácido fólico na gravidez pra que serve?

Todos os guias de alimentação na gestação não se cansam de ressaltar a importância da presença de ácido fólico na dieta de gestantes, seja na forma de suplementos ou de alimentos de verdade. Mesmo sabendo dessa importância, é interessante saber para quê serve cada nutriente que está sendo consumido e como ele irá interferir na formação de um bebê durante a gravidez. Para saber mais, continue lendo.

Ácido Fólico na Gravidez: O que é?

O ácido fólico é uma vitamina do complexo B encontrada em diversos alimentos, desde a gema do ovo aos vegetais de folhas escuras. Em sua dosagem correta, que é de 400 microgramas (0,04mg) por dia, ele deve começar a ser consumido até um mês antes da data que se deseja engravidar e ao correr dos três primeiros meses da gestação.

Ácido Fólico na Gravidez

Ácido Fólico na Gravidez

Ácido fólico pra que serve

Essencial para o desenvolvimento saudável do bebê que irá nascer, o ácido fólico tem papel importante na formação do sistema nervoso rudimentar, do cérebro e da medula espinhal do feto. A formação desses órgãos e sistemas ocorre durante o primeiro e segundo mês da gravidez, por essa razão é tão importante que o consumo de ácido fólico comece antes mesmo da gravidez – depois de quatro semanas o tubo neural já está fechado, e não adianta ingerir o ácido fólico depois. O folato, forma natural do ácido fólico, pode não ser absorvido de forma apropriada, o que abre a necessidade para um multivitamínico ou suplemento.

O que sua carência pode causar

A carência de ácido fólico prejudica especialmente a formação completa do tubo neural, podendo acometer o feto de anencefalia, que é quando o tubo neural não se fecha na extremidade superior e o bebê fica com ausência ou pequena parte do cérebro, ou ainda de espinha bífida, que é quando o tubo neural não se fecha completamente na parte inferior e gera sequelas graves. Isso leva a uma taxa de até 40% de mortes ainda no útero, mas os bebês que nascem mesmo assim têm baixa qualidade de vida.

Problemas do seu consumo em excesso

através da alimentação é muito difícil achar essa substância em excesso no organismo, mas esse problema acontece especialmente por conta do fornecimento de ácido fólico em postos de saúde. As drágeas oferecidas são de 5 miligramas, e devem ser usadas no tratamento de anemia, podendo ser prejudiciais para o feto. Os sintomas são náusea, desconforto gastrointestinal, erupções cutâneas e até deficiência da vitamina B12 e anemia.

Alimentos ricos em ácido fólico

Embora a alimentação não seja suficiente para suprir a necessidade da vitamina, e o processo de preparo dos alimentos, em especial o cozimento, faz com que sua ação seja diminuída. Entretanto, se você ainda está pensando em engravidar e não planejou tudo nos mínimos detalhes, é possível encontrar o ácido fólico e começar a consumi-lo nos seguintes alimentos:

  • Couve;
  • Fígado (boi, galinha, peru);
  • Espinafre;
  • Brócolis;
  • Ervilha;
  • Tomate;
  • Cogumelo;
  • Farinhas de trigo e milho (enriquecidas com a vitamina por determinação do Ministério da Saúde).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *